DIGITAIS

Quadro de Ennio Montariello





De tanto insistir,
desisto.
Passos miúdos,
uma fuga quase real.

Depois
de entrelaçarmos as mãos,
não há mais espaço
em ti para o agora,
para o que foi perdido.

Sou a única protagonista
ainda neste episódio.
Tempo e dor misturam-se:
é tarde demais para tentar.
(apenas eu não tinha visto
o roteiro.)

Não, não precisa dizer 
nada.
Quantos silêncios cabem
no teu silêncio?
Não há lágrimas aqui,
nem profundo desespero.
Não há absolutamente nada
porque não posso perder
o que nunca tive.

O caminho parece longo
entre a tua porta
e a minha.
Nunca me senti tão
ridícula e sozinha.
Sou uma atriz
que perdeu a vez, a voz
e a fala.

Percebo finalmente
quantos anos tenho,
vergo sob o peso do
meu tolo coração,
deixando enfim cair
as tuas digitais 
que ainda embaraçavam
as linhas das minhas mãos.


Karla Bardanza








Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana