A PALAVRA INTERDITA

Thomas Caleb Goggans




Pegue a palavra
com a boca
e rasgue-a
até não sobrar mais
nada que caíba no poema.

Deixe-a nua,
essencial,
mas nunca perceptível
ao olho incauto,
ao olho superficial.

E quando
ela estiver em pedaços,
sangrando, injustiçada e infinita
(porque jaz
dentro de ti),
permita que ela
seja apenas uma única pergunta
ou resposta pronta para partir,
pronta para ser todo o teu silêncio
ou quem sabe a tua única voz.


Karla Bardanza






Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana