DOCILIDADES

 Richard S Johnson



Deito-me no chão da sala,
contando as partículas do ontem,
abraçada a minha cachorra
que insiste em ser melhor do que eu
nestas questões de afagos
e docilidade.

Minha gata aproxima-se
pedidndo um pouco de mim também.
Olho ao redor,
mais completa,
mais suada,
mais alguma coisa intensa,
sentindo esse poder que a gente
ganha de pesar e medir as coisas
após os quarenta
pela primeira vez,
me sei feliz. 

E se isso tem outro nome,
deve ser paz,
deve ser candura.
A gente não precisa de muita coisa
para chegar lá.
As mão precisam estar 
segurando apenas o coração.
Todo o resto,
é apenas uma questão
de ouví-lo bater.



Karla Bardanza


Copyright © 2013 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana