DE CRISÁLIDA A BORBOLETA


E depois do caos, a crisálida.

Em seu envelope protetor,

ela aguarda e guarda

todo o medo, toda a dor.

O passado atroz,o algoz,

um desiludido nós.

Ali no seu total mistério

em transição,

renuncia ao seu

próprio coração.

Esta gestando a si mesma.

Fase de redescoberta.

Aberta ao seu cheiro,

ao seu gosto,a sua beleza,

ao seu novo rosto.

Ela é autoconhecimento

em progresso.

Precisa de cuidados,

mas aprendeu a solidão.

Precisa de promessas,

mas teme a indecisão.

Dentro da crisálida,desespera.

Um futuro imprevisível a espera.

Na potencialidade do ser,

de um novo devir,

pensa em fugir...

Subitamente,luz arrebenta

sua pele ressequida...

De asas abertas,admira atrevida

o que já é - uma nova mulher...

E ela voa acima dos danos,

dos desenganos,dos anos perdidos

em que foi dedicação...

E num encanto obsceno,a borboleta

é a criatura de sua bela criação...


Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana