LUA CRESCENTE



Quando a lua crescente debruça-se

Para escutar as minhas ressonâncias

No dorso do mar e observar a vida

Misteriosa dos planetas, acalanto o

meu livro: amante amigo de meus segredos

E iniciação. Todo o universo mergulhado

No limite, expande-se na luz que

Ultrapassa a estrela do meu peito

Como lembrança daqueles dias em

Conheci a neve e prometi apenas

Silêncio, confiança e perfeito amor.



Guardo todas as palavras, guardo

O que os olhos não podem nunca

Ver e que abragem os tempos.

Doce vento, doce fogo, doce mar,

Doce terra: o equilíbrio dos mundos

Escrito nos elementos, naquilo que

É a grande mágica da vida e da poesia.



E olhando tão dentro do luar, encontro

A neblina da noite desenhando o teu

Nome em minhas profundezas ainda

Ignoradas. E tão livre das brumas e de

Tudo que a claridade emudece, deixo

Meu coração vazar em seiva sem fim

Trazendo você para dentro de mim.



Karla Bardanza
























































Comentários

Postagens mais visitadas na última semana