PARA TODOS OS EFEITOS



 Para todos os efeitos,
esconderemos nossas vontades,
digitais e defeitos
e se alguém perguntar,
diremos sempre não.


Para todos os efeitos,
mentiremos até para nós mesmos,
figindo que isso é apenas isso
e
mais nada.
(Esses pactos me deixam apavorada)

Falaremos pouco,
evitaremos a rota do sol
o brilho excessivo 
dessas coisas às claras.

Isso que há entre a gente
é...como direi...
uma coisa ( coisa de novo!)
uma coisa rara.

Ficaremos imóveis
mesmo no calor,
ficaremos sangrando
mas suportaremos a dor.


Para todos os efeitos
é melhor que o crime
seja perfeito
e que os nossos olhos
só testemunhem o vazio
do depois.

Para todos os efeitos
nunca houve
esses (des)encontros
entre nós dois.




Karla Bardanza



















Copyright © 2011 Karla Bardanza Todos os direitos reservados

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana