O TAO DO AMOR



Abro a luz com suavidade, deixo que você venha pisando mansamente pelos poemas, pelas palavras que sussurram a música do céu. A força da água acompanha a minha alma: fluo com docilidade pelas tuas mãos. Segure os meus sonhos: não permita que eu caia das nuvens, não deixe que as estrelas fujam de meus olhos.

Sou Yin e de onde vim, a noite fala. Ela me amamentou por doze luas e me ensinou todos os mistérios que carrego em paz. Às vezes, fico calada, deitada dentro de mim pacientemente, recolhida em minhas pétalas sempre abertas para a tua mente yang, para a lógica do teu coração enquanto nos encaixamos num perfeito abraço, que não deixa espaço para nada além do desapego necessário. Esse desapego que conhece a hora certa e que faz com que o amor cresça e evolua em silêncio divino.

O amor muda. Eu sei. Deixo que ele voe com delicadeza. O caminho verdadeiro é sempre aquele que navega com a natureza em oceanos raros, em absoluta calma. Nada é totalmente certo, tampouco, plenamente errado. A mais bela certeza é saber sempre que o amor é sagrado. Nenhuma transformação pode ocorrer sem respeito e emoção. Nenhuma.

Estendo minha mão e caminhamos para o destino maior e nessas horas em que todo o universo se alarga, somos tudo que os deuses sonharam para o céu e a terra.


Karla Bardanza


Estou dividindo dois textos meus que estão nos Fios do Infinito.

Espero que vocês gostem.











Copyright © 2011 Karla Bardanza Todos os direitos reservadosos

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana