UMA PORCARIA DE POETA



 Steve Smulka



Poemas não vendem,
não cabem nas profundezas rasas
 dos jormais 
não combinam com o noticiário das oito
nem com coisas que diminuem 
a imensidão das metáforas
e a fragilidade amarga da língua.

Para uns, são apenas hieróglifos dormindo,
Para outros, a palavra pulsante
entre a veia femural e a aorta.

Quanto a mim,
não se engane nunca:
não sou apenas um poema,
sou a própria poesia torta.


Karla Bardanza









Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana