UM CORPO QUALQUER

 Joel Rougie




O corpo contém a palavra
e cai dentro de seus próprios intervalos,
cúmplice de seu próprio desentendimento,
desrespeitando o que em si é profundo,
mundo e exaustão.

É descartável, mecânico, plástico. 
Use-o.
Jogue-o fora.
Substitua-o.
Embalagem retornável e retorcida,
exercício de Narciso.
(vida quase?)

O corpo é apenas pele e músculos,
contornos e curvas,
coisas convexas, 
absolutas e perplexas.

O corpo não tem dentro,
não tem eixo,
não tem centro.

O corpo é a vida sem pé
nem cabeça.



Karla Bardanza

 
 




Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana