ESTOU ENTRE MIM E MIM QUANDO ESCREVO


Estou entre mim e mim
Quando escrevo.
Não busco o eu...
Busco a palavra interdita.
A bendita palavra a escorrer
Pelas veias do papel...
A forma líquida em mutação.
A densa revelação do meu ser.

Caminho sem volta,voltas
Desse caminho sem fim.

Sozinho jeito que encontrei
Para ir além de mim...E tão
Longe vou a sós comigo, e
Tão calada encontro em
Meu próprio coração,o meu
Único e distante inimigo...

Abrigo louco de um peito
Fingidor...Mão única cega
A transbordar de amor...


Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana