QUEM PODE AJUDAR,LEVANTA A MÃO


Às vezes ela nem consegue levantar.Odeia o sol. Mete-se lençóis abaixo e espera a sede chegar. Já nem mais sabe como se salvar, já perdeu a ingenuidade de acreditar. Fome não tem...Desejo sempre vem intenso e ela que esqueceu a dignidade em algum lugar sempre corre atrás daquilo que pensa ser sua vida ou que parece dar sentido à sua vida. De vez em quando pensa na família, mas sabe que a família cansou de pensar nela. Quantas vezes disse que estava “limpa” sem estar...Quantas mentiras no ar...Quando acorda parece ainda dormir, quando é verdadeira parece ainda fingir...Detesta olhar-se no espelho e ver os estragos.Emagreceu tanto, é um fio de mulher. Agora, quase nem tem mais roupas, cheirou quase todas.Cheirou a casa também.De repente, móveis, utensílios e aparelhos eletro-domésticos viraram pó...É, assim, num passe de mágica! Ironia...Num passe de mágica, ela virou pó também...Perdeu amigos, trabalho, amor, ganhou um labirinto sem volta, um terremoto particular. Já pensou em se matar, já pensou em tanta coisa e agora, nem quer mais pensar...Olho para ela e nada vejo...Escuto-a com atenção...Quem pode ajudar,por favor, levante a mão...


Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana