SUBSTÂNCIA


Quase esqueci

Da substância

De que sou feita.

Quase.

As trovoadas precisaram

Rasgar o ceú, a tempestade

Precisou lavar as vidraças:

Vi melhor.



Isso que trazes nas mãos

Para mim é apenas um pedaço

De papel.

Toda a densidade não cabe nestas

Letras, neste instante órfão.



Com as cortinas fechadas, sinto

Melhor.

As sombras povoam a pequena

Imensidão.

Existo para além de meu corpo,

De meus ossos, de meu coração.



Karla Bardanza

Comentários

Runa disse…
Karla, teu poema ficou lindo. Parabéns.
Eduarda disse…
Karla,

Que te dizer?...contigo fico sem palavras.

Para além do corpo e do tempo...

belo.

bj

Postagens mais visitadas na última semana