TU E EU


Tu e eu

Somos feitos

De tempestade

: nossas chuvas são

Apenas lirismo e toda

A solidão faminta.



Teus graves rituais,

Tuas palavras de mãos dadas

Com os sinônimos, eu sou

Paisagem cansada, tu és

Apenas ânimo.



Debruço para ler

Teu coração sempre inédito

E reatualizado, belo na

Utopia que me renasce

E tomo uns goles de ti,

Brindando a poesia que

Escorre pelos teus olhos.



Tuas serenatas

Quase me eternizam

E me deixam fraca.

Despejas teu coração

E eu tão nublada, chovo.



Tu és a graça

Que não consigo encontrar

Em mim, a ponte enluarada

Suspensa entre a poesia

E o marfim.



Para você,

Guardei pavê e ambrosia,

Todas as letras da fantasia,

Mas quase não sei dar vida

A tudo. Algo em mim

Nasceu mudo.



Então,

Fique comigo

Na ponta do meu iceberg

Ou no olho do melhor

Tufão. Não digas nada.

Apenas segure a minha

Mão.



Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana