CONSUMATUM EST



A lâmina corta com tanta graça.

Ela me conduz tão distante dos

Olhares inquietos dos deuses.

Afio as garras, afio o golpe e

Sorrio neste cio perfeito, quase

Manso. Rejeito palavras, atitude

É sempre bem melhor.



Não ensaio, não erro: a primeira

Estocada atinge o coração, a segunda

Atinge a alma impura, a terceira é

Tão precisa: machuco com tanta

Graça e desejo. Meu sangue é apenas

Veneno. O que é bom nunca é calmo,

No escuro ou sereno. Ver o efeito

Seduz. Luzes acesas, por favor.



Não canso desse poder, dessa

Tirania tão adorável e intensa.

Não há culpa tampouco defeito.

Não há amanhã, não há quase

Nada: apenas este sangue lindo

Escorrendo pelo aço, espaço

Preenchido com tanto vazio.



Sorvo com prazer: cada gota

Nesta lâmina é um pedaço

Sombrio e cálido. Tudo busca

Amplidão e infinito. Consumatum est.



____________________________


Apenas te fito.





Karla Bardanza

























































Comentários

CINDA disse…
I loved this Karla... beautiful!
~ Flower
Eduarda disse…
Karla,

este foi mais que tocante.

Adorei!!!!

bj
celina vasques disse…
Amei teu blogger belissimooooooooooo!
beijos meus

Postagens mais visitadas na última semana