INSATISFAÇÃO

"O poeta sente as palavras ou frases como coisas e não como sinais, e a sua obra como um fim e não como um meio; como uma arma de combate."

Jean-Paul Sartre





A munição não é apenas balas e bombas.

Disparo palavras a esmo, combato a mim mesma

numa luta insana. Todo dia, enfio a faca

no peito para sangrar poemas e sentir

as coisas que permanecem imutáveis.

O efeito é mais do que estético:

a dor é catártica, é necessária.

E quando tudo termina, olho o papel

insatisfeita, procurando a melhor metáfora,

a emoção singular das letras,

e nunca consigo ser poeta.





Karla Bardanza






Comentários

Postagens mais visitadas na última semana