A SACERDOTISA



Sinto o mistério,

Olhando além do óbvio,

Abrindo o desconhecido,

Rasgando o véu da realidade

Por onde o desejo e a luxúria

Respiram.



Aos meus pés, ele senta,

Buscando respostas, tentando

Entender o segredo da lua

Crescente na minha testa.

Nada digo.

Este é o meu voto.



Nunca interfiro:

Eu apenas vejo, eu apenas ouço.

Deixei-o partir. Ele está pronto

Para seguir em frente mais uma vez.

Um dia, ele estará pronto também

Para caminhar junto comigo pelos

Caminhos sagrados.

Oh!Mãe, o que tiver que ser, será.



Por entre as sombras,

Eu me calo e contemplo:

Um círculo de rosas o proteje

Enquanto ele vagueia em seu

Labirinto particular.

Oh!Mãe, o que tiver que ser, será.



Um dia,

Ele verá.

O tempo será de equilíbrio

E aquela que nunca nasceu nem

Nunca morreu, irá se ajoelhar

Perante a ele e o abençoar

Com os olhos da mais profunda

Delicadeza.



Karla Bardanza








































































Comentários

Eduarda disse…
Karla,

sobre o mistério, dos mais belos que já li.

Passa no meu blog e leva o selo que te ofereço.

bj

Postagens mais visitadas na última semana