POEMA PARA DIZER SIM



Não me aches.
                       Escondo poções e livros nas pontas dos dedos
                       : algo de mágico ainda pode me iludir, guardei
                       o mundo nas prateleiras, no relógio quebrado.
                       Não ouço o futuro e suas cobranças na porta.


Não me busques.
                                                         
                   Ficarei perto dos olhos da lua, ficarei nua.
                                        Há tanta liberdade na poesia. Colherei tempestades
                   em tardes quentes, em noites de labirintos
                          : mornas panelas dormem cansadas no fogão.
                                                                                         Lavo as mãos.


Não me entendas.
                                                       
                                   Este meu estranhamento é apenas a minha voz.
                               Não sei dizer nem quando digo e se digo, algo
                                fica no meio da garganta, algo desce sem vez.
                                               Deve ser o eco das noites viúvas, das manhãs
                                                       em que tento ser um anjo sem asas.


Não  me ame.
                                                      
                                                      Aprendi com os poetas gregos a ser cega. Apenas
                                               assim posso sentir e escrever o que sinto. Não
                                                       vejo mais nenhuma verdade absoluta. Meu corpo
                                                       sente as vicissitudes que escorrem pelas palavras.
                                                       Não sei definir o amor porque ainda não sei amar
                                                                                                                                              certo.
                                                       E no entanto, te amo como se eu soubesse a bela
                                                       diferença que me faz brotar como flor e jardim.



Não me sinta.
                                                     
                                                 Mas se sentir, sinta-se dentro de mim, de mim.



Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana