O ROSTO DA NOITE


O rosto da noite
impenetrável
sonha com planetas
e
galáxias,
suspirando por cada estrela
cadente que cai 
sem permissão.

Vagalumes desejam
todas as luzes,
sapos cantam suas eternas
cantigas-de-ninar mariposas,
aranhas tecem os fios
do amanhã.

O orvalho está enlaguecido
pela música da madrugada.
Os amantes procuram
os seus gemidos que escorrem
pelas paredes enluaradas,
o momento expande-se
em pirilampos e corujas.
A vida está escura
e
acesa.

O rosto da noite
é um bordado nas mãos
da delicadeza.

Esparramo meus cabelos
curtos no travesseiro
com preguiça e chamo
o inconsciente para brincar.

O rosto da noite
é a palavra que ousa na boca da poesia,
é o perfume da dama da noite
levantando o vestido branco,
encostado na cerca selvagem,
é a paz que mastiga
e engole
a coragem.




Karla Bardanza









Copyright © 2011 Karla Bardanza Todos os direitos reservados

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana