IO! EVOÉ!

 Quadro de Louise D'Aussy-Pintaud





O meu Deus
dança abraçado comigo
e me celebra
em coisas desconhecidas
com cheiro de colinas,
e êxtase.
Ele esfrega suas pernas
em mim e me deixa
em carne viva,
cheia de compreensão agridoce
e intensidades.

Sou ninfa vestida de céu 
depois que eu chamo a Lua,
deitada em estrelas,
em círculos fechados
e abertos,
em palavras que 
não sei falar
a luz das velas.

Ele é o meu sátiro,
a minha música,
a minha vontade viva
que acorda apenas
para lamber
as fagulhas do meu fogo solar,
do meu gozo quando
a criatividade é gerada.

Fecho os olhos
e permito que ele
viaje pela minha mente
inconsciente,
todo indecente
como deve ser a luz
quando revela.

Sua força
e melodia
entram em mim
e unos vamos além
das horas, do espaço-tempo,
das coisas que todos podem ver
quando o nome do céu
é prazer.

Ele canta para mim
e eu corro pelos bosques
sagrados, gritando
 "Io! Evoé!
e depois gemo apenas sim,
apenas é...




Karla Bardanza








Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Bom dia minha amiga!
Adoro ler seus poemas,mesmo numa manhã gelada como esta de zero grau.
Lindo demais.
Grande abraço
se cuida

Postagens mais visitadas na última semana