DA SOLIDÃO ACOMPANHADA



Quantas vezes essa falta de sintonia de mentes e corpos nos invade e nos detona com aquele alarde de quem entra em mar bravio,pensando que seus dotes de nadador/a de final de semana, irá ajuda-lo/a quando vier aquela enorme onda.Quantas vezes aquela sensação de que o relacionamento é aquele prato que você põe no micro-ondas para esquentar.O fato é que quando você vai comer,o gosto não é o mesmo.É a própria pizza requentada, queijo borrachudo com gosto de sola de sapato!Quantos domingos você só na cama vendo televisão ou chorando diante de uma música que te faz lembrar o início da relação, onde o coração era tão mais forte e a ilusão usava óculos cor-de-rosa.É, inúmeras vezes, você de mãos dadas com a dona solidão.E o outro, a outra, sei lá!No trabalho, na casa da família, no futebol,com o periquito ou talvez com o papagaio,fazendo sei lá o quê!E ai você pensa, tem aquele “insight” violentíssimo de que você falhou...Afinal de contas, está vivendo algo que está longe de ser um amor verdadeiro ou um relacionamento.Nossa!Que dor arrebentando o peito, lado esquerdo paralisado, enjôo, vontade de vomitar tudo na cara do outro, de dizer que você está de saco cheio, de que isto não foi a vida que você sonhou...Vontade de cortar fotos, laços e tudo mais.E, você não faz!Remoe a dor, enxuga as lágrimas e diz que tudo vai ficar bem, melhorar.E fica?Não, claro que não.Aos poucos, o fosso que te separava da outra pessoa tranforma-se em uma cratera, a mesa fica grande demais para passar o sal e nem com um megafone, o coração do outro te escuta.Você fica ali remando contra a maré, empurrando com a barriga, mas e os teus sentimentos?Bem, isso vai morrendo, tuas flores murchando, tua luz apagando.Falta o amor com A maiúsculo,falta aquele sentimento de completude.Você se olha no espelho, mas cadê a imagem?Tudo vazio,tua alma te abandonou.Você se sente numa encruzilhada e pensa que é melhor o inimigo que você conhece.Então, resolve engolir os sapos, os sapinhos,as sapas e os sapões e fica ali no labirinto onde nenhum caminho te leva a qualquer lugar.Contudo, virá um dia em que você vai estar cansada/o de bancar o avestruz e terá que tomar uma decisão.É, ou vai ou racha e ai você já sabe que vai rachar.É aquela velha historinha, o que não tem remédio, remediado está.Mas,sinceramente,como diz minha mãe tão empiricamente, antes só do que mal acompanhada/o.


Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana