NAUFRÁGIO EM MIM


E essa que chega
Com alma de mar
É o meu cais vazio
Sem velas, sem luar.
É uma tormenta cega
A me ferir e a me levar...

Sem bússola, sem eixo,
Perco o rumo e o centro
E nem sei como chegar...
Dentro de mim apenas uma
Dor calma a me afogar...

Meus navios despedaçados
Em mar bravio, frio trovão
Em meu olhar, sem destino
Sigo sem me encontrar...
Sou embarcação perdida,
Quem poderá me achar?
Sou capitão sem nau,
Quem poderá me ajudar?

E ela que vem desaguar
Em meu porto de paz,
É o leme que preciso
Para viver um pouco mais.
É o sonho onde me arrisco
ao deixar o meu cais...

Pouco a pouco naufrago
Em oceano de medo
E dissolução, morrendo
Em mar profundo e denso
Desta perigosa paixão...

Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana