MIRABAI


Diante de teus poemas,
Curvo-me.
Tua obra de beleza e devoção,
Escrita com a alma
Do coração
É o caminho
E a plenitude.

Diante de tua Luz,
Curvo-me.
Tua coragem e delicadeza
Abertas em flor
Ao infinito,
Ao próprio esplendor
Curvo-me.
Curvo-me
Ao que foi
E sempre serás:
Aquela que
É emblema
Do sagrado infinito.
Aquela que sempre
Será o mito.

Dianti de ti,
Mirabai,
Curvo-me.
Encarnação do sonho
Em eterna surpresa.
Encarnação do Absoluto.
Te escuto...
Te escuto...
És a força dos fracos.
És a canção do Senhor.
És o próprio amor.

Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana