A LEI DA CONTEMPLAÇÃO


Sento na nuvem
E observo a vida misteriosa
Das Estrelas.
Tão caladas em seu ofício
De emprestar a luz.

Não entendo bem
Dessas profundidades.
Limito-me a observar
O inobservável.

E estando acima do Tempo,
Acendo a noite,
Anistiando a Mãe Lua,
Promulgando uma nova lei:
A lei de contemplação.

E naquele nobre instante,
Escuto a eternidade
Me chamando para viver
De novo.


Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana