O PESO DAS ESTRELAS


 Do lado de cá,
o vento faz a curva,
Judas perde as botas,
Tudo é tão distante
do entendimento.

Aquilo que pode
ser perde-se
na pá de cal feroz
no verdadeiro esquecimento.

Cruzo os braços
e contemplo
as possibilidades mudas.
Mas estou cansada demais
para pensar.
Amanhã trabalho,
amanhã é quase igual a hoje.

Fecho os olhos
e durmo com a luz acesa
enquanto algo apaga por dentro
e a noite emagrece
sem o peso das estrelas.





Karla Bardanza









Copyright © 2011 Karla Bardanza Todos os direitos reservados

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana