ENQUANTO A ALMA SONHA


Cozinho o desejo



Com calma tempestade,



Falando as palavras da lua,



Observando um incenso de rosas,



Preparando a alma para o sonho.







Canela, sândalo, alecrim,



Ervas, cristais e encantamento.



O momento é de simples magia,



O momento é bordado no vento e



Na água com luz e poesia.







Abro a porta do infinito,



Desvendo eternidades,



Encontro encantos ignorados.



Perco-me nesta claridade,



Perco-me.







Vozes, pássaros, harpas,



O paraíso tem cheiro de



Prazer. De olhos fechados,



Ouço, ouço a música da



Minha alma.



O desejo borbulha.



Transcendência.







Esse é o tempero maior



Da vida no tempo eterno.



A alquimia que acorda



Os céus e faz com que



O meu coração se embriague



De mim.



Sortilégios, fadas, silfos,



Sou da tessitura da música,



Sou do tamanho de um jasmim.



E por alguns minutos,



Arrumo o destino com a



Delicadeza do fogo e do ar.















Karla Bardanza

Comentários

Eduarda disse…
Karla,

Sempre o prazer de sentir as tuas palavras.

bj
eduarda

Postagens mais visitadas na última semana