MARES SONOLENTOS



Mares sonolentos

Acordam encantos ignorados

Em minhas cavernas cansadas

E misteriosas. Ondas deitam-se

Caladas em minha solidão leve.

Todo o meu enigma é cheio de

Cores e profundezas.


O que vês na superfície é sempre

O que podes ver. Talvez a musa

Sem vida, talvez a mentira e a tola

Ferida. Nada é claro em minhas

Águas sonhadoras e profanas.

O que guardo de sagrado está

Em lençóis imersos no fundo do

Leito de minhas noites cheias de

Sortilégios e soberba fria.


Em todos os meus oceanos,

Escondi pérolas e alguma

Poesia.


Mares sonolentos respiram

Dentro de mim. Todo o resto

É apenas um azul inacessível,

É um céu sem palavras.


Karla Bardanza






















































Comentários

Helen De Rose disse…
sou tua fã, mana. o blog ficou mágico! amei! bjo carinhoso.

Postagens mais visitadas na última semana