MINHA FANTASIA



Da madrugada rasgada de estrelas,

Bordo planetas, costuro palavras

Que alinhavo com as mãos calejadas

De magia e todo o encantamento.



Por um momento apenas, deixo

De ser quem sou e visto o perfume

Dos poemas, perdida em nuvens.

Pesco sortilégios, ordenho nuvens,

Deito em maravilhas escutando

As tristezas da lua.



E toda vez que esta mulher sai

De dentro de minha alma, acalmo

Os meus olhos e me sinto completa,

Repleta de resposta e imagens.

Meu coração selvagem voa, caça

Vogais e consoantes que são seduzidas

Pela poesia e nestes pequenos instantes,

Sou o meu próprio mito e fantasia.






Karla Bardanza














































Comentários

Postagens mais visitadas na última semana