MATIZES



Esta tela esquecida

No porão guarda tanto

Azul ainda. Olho-a com

Os olhos cheios de nuvens

E alguma dúvida. Olho-a sem

Justificar ou entender os balões

Que flutuam, a menina que voa.

Meus silêncios estão todos aqui,

Mortos nos cinco horizontes que

Ainda cobrem meus pensamentos

E as minhas mãos amargas, perdidas

Num tempo fora do tempo, em

Algum sétimo céu.



Podemos voar ainda: os balões

Seduzem: meus cabelos no vento,

Os oceanos falam lá do outro lado

De mim. Me ame...me ame...

Porque estou ainda aqui, porque

Aquela música ainda pode levar

Os meus pés para o futuro.

Me ame mesmo que não

Valha mais a pena. Mesmo

Que esta tela desmaie

Dentro de mim.



Eu já não tenho

Quase nada além

Das gaivotas sonolentas

Que voam sem rumo,

Sem asas, sem olhos.



Quando as nuvens

Abandonarem esta tela

Será tarde demais.

Quando eu me perder

Naquela viagem sem

Volta será nunca mais.



Os matizes da minha

Alma diluem:

Cores em dúvida.



Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana