QUEM MANDA NA MINHA ARTE POÉTICA SOU EU

PROJETO DE PREFÁCIO

Sábias agudezas... refinamentos...

- não!

Nada disso encontrarás aqui.

Um poema não é para te distraíres

como com essas imagens mutantes de caleidoscópios.

Um poema não é quando te deténs para apreciar um detalhe

Um poema não é também quando paras no fim,

porque um verdadeiro poema continua sempre...

Um poema que não te ajude a viver e não saiba preparar-te para a morte

não tem sentido: é um pobre chocalho de palavras.

-Mario Quintana-







Escrever poesia é soltar palavras

Para depois escolher as preferidas

E não importa muito se elas vão

satisfazer ou não desde que caíbam

Na minha imensidão.



Não pertenço ao cânone,

Não sou literária, nem cheia de firulas.

Prefiro a liberdade de ler a vida

Segundo a minha alma.



A primeira frase é sempre a mais

Impossível, a mais complicada.

Permito que ela me guie para os

Sonetos ( e por que não?), as elegias,

Os versos livres, odes e tudo que (não)

Pode.

Quem dita as minhas regras sou eu.



Um bom poema é sempre aquele

Vou escrever algum dia e

Quem sabe agradar Gregos

E Troianos.

(creio que isso vai levar anos...)



Eu continuo a acreditar

Que o melhor poema não aquele

Recheado de técnicas e etc e tal.

Ah!Não é não!

O melhor poema é sempre aquele

Que faz sentir, que entra no leitor

E o arrasta para o mais profundo

De si e ele ou ela, sei lá, não consegue

Falar ou fugir.



Texto bom, texto ruim,

Por que qualificar?

Aristóteles que me perdoe,

Mas quem manda na minha arte

Poética sou eu

E

Apenas

Eu.





Karla Bardanza










































































































Comentários

Postagens mais visitadas na última semana