O VENTRE DA FLOR


As coisas transbordam
neste espaço pequeno
que é o meu corpo.
Elas caem com sofreguidão:
pedaços nus e adormecidos
choram tão vulneráveis 
no chão.

Mares coloridos
escorrem pela
minha pele sem sal,
e dormem aos meus pés,
buscando a minha alma
que tudo quer.
Esta alma tão sagrada
que cabe
inteira e úmida
no meu ventre
de mulher.





Karla Bardanza










Observe-me com a leveza de uma bolha de sabão... e ache minha beleza... Ela está ao meu redor...no meu calor...no meu estado permanente de flor.
-Karla Bardanza-

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana