ALQUIMIA


Se sou duas,
uma não sou
e se sou,
quem eu sou?

Se sou duas,
nenhuma eu sou
porque sou nada e tudo, 
porque sou 
quase do tamanho
do nada e do mundo.

E se duas são o nada incompleto 
ou mesmo um único nada
no meio de dois infinitos,
o que sentem se sou eu
quem sinto?

E se sinto,
como posso sentir através
de duas almas distantes
todas as coisas
que tornam a poesia
a minha única amante?

E se sinto,
quando eu sou ela,
 ela é eu,
e esse
eu é você?

E se você é eu
e eu sou você,
quem somos nós duas
nesta alquimia (im)perfeita
e nua entre a poeta
e a poesia?




Karla Bardanza












Copyright © 2011 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana