DO OUTRO LADO DO ESPELHO


Dela,
eu sei apenas
o que eu vi
e nunca quis ver.

Os olhos 
fracassados,
a boca cheia de mágoa,
os cabelos desalinhados,
a perda agarrada
na garganta seca.

Dela
eu sei apenas
o que eu já sabia.

A vida que esqueceu
de caminhar,
os pés esfolados pelos sapatos,
o sangue nas costas
depois que a faca foi
retirada sem pena.

Dela 
eu não posso dizer
mais nada que a minha dor
já não tenha dito.






Karla Bardanza




Para minha irmã.
Algumas perdas nunca vão embora. Ficam ali comendo a gente por dentro, mastigando a alma sem piedade. Essas são as mais difíceis de suportar. Leva algum tempo para aprendermos que do outro lado do espelho, existe alguém de verdade. Leva algum tempo para percebemos que não merecemos sofrer porque este não é o plano que os Deuses têm paras as nossas frágeis vidas. 
A cura que é buscada após a surpresa da dor cabe apenas a nós mesmos. A vida é sempre muito mais do que o outro nos torna com o seu descaso e desamor. A vida é sempre tudo que temos, embora, nem sempre possamos compreender que ela vale a pena mesmo que tenhamos que enfrentar os acidentes grandes e pequenos do destino, as nossas tragédias tão particulares.





Copyright © 2011 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

PROTEUS disse…
Eu sempre me surpreendo com seus poemas...

Postagens mais visitadas na última semana