O POEMA TEM PRESSA


O poema tem pressa
e não pode me esperar.
As palavras pulam os muros
da minha imaginação,
caem no papel com rapidez,
esfolando os joelhos,
perdendo as metáforas
e a nitidez.


O poema tem pressa.
Não consigo acompanhar os passos
insanos dele no adiantado da hora.
Mal-educado, ele me deixou aqui,
estupefata, virou as costas
e foi embora.



Karla Bardanza



Copyright © 2011 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana