IMENSIDÃO NOVAMENTE

Quadro de Yang Gao



Meus pés adolescentes ainda
afundam nas horas não sábias,
levando-me por alamedas
e cantos cheios de sofreguidão.
Abro o zíper da saia
e as mãos, ensaiando
novos pecados
com fervor,
com nenhum respeito 
pelos meus cabelos quase brancos.

E entre um turista e outro,
leio a minha vontade
antes que seja tarde demais
para brincar de ser gente grande.
 Não penso.
Escureço com as estrelas,
deixando cair os sapatos
e
a vergonha.

Não quero mais viver
em pausas.
Daqui para frente,
meu nome é eternidade.


Karla Bardanza






Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana