A LOUCA NO PORÃO




Sonho...

Quimera...

Real a minha espera...

Primavera no inverno,

Inferno, eu a flutuar...

Lá de cima vejo tudo,

Menos o luar...

Mundo onírico...

Estrelas caem,

Afogo-me no seco.

Beco sem saída...

Sou uma gata,

Com duas vidas...

Margaridas pelo ar,

Cheiro branco a me levar,

Sinto o irreal, não estou

Em nenhum lugar...

Acordo, pavor no olhar...

Enlouqueci, dormi

Ou ainda estou a levitar?

Janela na alma,

Porta ao subterrâneo,

Momento insano,

Mente perdida (mente)...

Conto os anos,

Os séculos,

Dano, desengano...

Vida a desabar...

Nada digo,

Quem vai me escutar?

Amarraram minhas mãos,

Não posso me soltar...

Sou a louca do porão...

Sou a que veio te ameaçar...

Presa na cama,

Vida passa devagar...

Uma pílula...

Ela vai se acalmar...

E ela morre todo dia

Em violenta agonia...

Nada mais sente...

Salvo a alegria

De se deixar matar...


Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana