O SABOR DO SOSSEGO


Não tenho mais medo
Do sabor de saber o
Que em mim nasce em
Mistério e segredo.

Provo em minha escura
Escuridão,pedaços de
Mim e de meu próprio
Coração.

Sob a língua, o gosto
De ser, o meu mais
Precioso e refinado
Prazer.A surpresa
E a delícia tatuadas
Em pele, em pêlo,
Em poros,em paz.

Não tenho mais medo
Do que o tempo traz
Em mito, em rito, em
Gritos...Liberdade...

Provo e me renovo
E bebo a ousadia.
Quem sou à noite,
É meu duplo de dia.

Sob a língua, o deleite,
O devaneio, o degredo.
Sob a língua, o gosto
Libertário do sossego.

Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana