PARIR POESIA






Acariciar palavras em pura sinestesia.
Beija-las até que se diluam e fluam
Pelo meu sangue, pelo meu corpo,
E escorram para o papel como mel.

Sentir cada letra, cada sintagma,sentir.
Depois deixar que cada palavra seja
Magma e solidifique o vento, o tempo
O lamento e se possível o sentimento.

Parir cada verso com a dor da emoção
Maior e depois olha-las sentindo-me
Menos só, menos triste, menos coisa.
Ressuscitar para morrer de tanto amar.

Escrever, escrever e escrever a vida de
Várias formas, ângulos.Permitir leituras
Que traga sonho e acalanto, que traga o
Profano, o sagrado e o melhor pecado.

Escrever e apagar, procurar o inusitado.
Ser poesia, fazer poesia, beber e comer
Poesia.Viver de poesia, viver a fantasia
De ser a beleza, de ser tudo que extasia.

Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana