ALECRIM



O fio desta trama

Conduz ao que transfigura

E anistia.

Quando me separo de mim,

Escrevo poesia.

Quando me completo,

Estou muito além do jardim,

Regando o tempo, plantando

Audácia, colhendo tempestade

E vento.

E está ótimo assim:

Quando saio do inferno, estou

Sempre com as mãos sujas de alecrim.



Karla Bardanza



























Comentários

Postagens mais visitadas na última semana