POEMA ESCRITO NO CORPO

A busca do outro corpo

Lavado pela chuva corrói

O tempo, faz a hora engasgar.

E tudo ou quase tudo é a

Perda dos mormaços, das marés,

Das luas de sangue.



Rasgo a noite com pensamentos

Embrulhados em papel de pão,

Secando lentamente toda a excessiva

Magia que alimenta e engorda

A alma.



E o meu corpo

É apenas as sobras

Das ventanias, dos furacões

Que sempre destroçam

As naus embriagadas de perfume

E alguma certeza.



Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana