DA NOBRE EXISTÊNCIA DA FLOR


Quando te olho,



Meu estado permanente



É de flor.



A vida respira em pétalas



Tão delicadas.




Existo.







A lua costura estrelas de cetim



E o que me ressuscita,



Acorda nuvens dentro do dentro



De mim.




Existo.







Meu corpo te alcança,



Minha mente não mais me pertence.



Te sinto com o meu desejo



E vontade.




Existo







Desenho minha ousadia



Na tua pele tão longe.



Minhas águas me levam



Para além



E



Isso que não é mau



Nem bem



Apenas é.



Te olho



E acorda a mulher.







Existo.



Apenas ainda existo.







Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana