OUSADIA


Extrai segredos do sol está manhã.

Fiquei deitada sentindo ele me

Molhar enquanto admirava o azul

Irônico do céu.

Afoguei minhas mãos em meus

Lábios cansados de falar e contemplei

A beleza exaustiva da natureza.

Lembro que meus olhos cegos

De verdades só queriam ver os

Desenhos que as nuvens faziam.

Minha mente estrangulada de

Lamento e saudade desvendava

O céu com alguma soberba fria,

Fascinada pelo nada, pelo tudo,

Pelo o momento em que o sonho

Se ajustava ao sol.

Passei quase a manhã inteira

Construindo encantos, colhendo

Palavras do ar, pensando que aquele

Tempo era a matéria viva sem voz

Da minha poesia. Quando o real

Voltou a me ferir, perdi a ousadia

E voltei a ser eu mesma de novo.



Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana