TUA PAISAGEM ATROZ


e te digo

o que não digo.

com as minhas mãos,

desenho o meu recado

no teu corpo:

palavras escorrendo

pela pele, algo mais

entre o ser e o sentir.



fique aqui.

por cima te vejo melhor

: eu sei quase tudo.

as línguas, as metáforas,

a semântica, a sintaxe

cega de nós dois

:nada para depois.

eu quero.



dispo todos os sons,

sussurro o infinito,

te fito com os olhos

cheios de luar, de

cumplicidade

e cheiro.

eu quero.



transbordo,

transfiguro

acendo o teu escuro

: doce, doce, sim, sim.



eu me perdendo

de mim,

tua paisagem atroz:

nós,

de novo nós,

nós,

apenas nós.





Karla Bardanza










Comentários

Postagens mais visitadas na última semana