TRANSCENDÊNCIA



Enquanto o mar luta

Incessantemente consigo

Mesmo, escondendo sua

Guerra santa e calma,

Minha alma não mais

Percebe a difrença que

Separa-me do mundo.



Meus olhos dissolvem

Estas fronteiras caladas

E tudo me pertence

Porque eu pertenço

As estas águas, a este

Momento de dissolução

E transcendência.



Minha mente não está

Mais no meu corpo

E o meu corpo não precisa

Mais do ego.

Entrego tudo ao mar

Que leva e lava o tempo.



Esvazio-me de mim

E este é o melhor momento

Da minha vida.

Esqueço-me de mim

E tudo isso que ainda

Dói, morre no desmemoriado

Vento.



Karla Bardanza

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana