DESIRE



Essa boca, morango deitado

Na minha língua é o exercício

Pleno ameno de poder.

Você...

De costas para a lua, olhando

Em meus profanos abismos

Sagrados.

Morrer...

Afagando pelos e peles

Enquanto o céu sobe pelas

Paredes e as estrelas desmancham

Em meus seios sem rodeios.

Deitar...

Nas tuas mãos, em teus perigosos

Vãos até o amanhecer não querer

Se despedir e ficarmos aqui, um

Olhando para o outro, decorando

Histórias e geografias, poesias no

Teu corpo: eu vejo o amanhã em

Ti.

Sonhos...

Nus, sonhos pelados no chuveiro.

O mundo inteiro mora nesse quarto,

Nessa cama, nessas paredes, nessas

Horas sem fundo, na tua boca cheia

De nuvens procurando a minha.

Desejo

E desejo mais uma vez, nós três:

Eu, você e o prazer amarrados

Pelos carinhos de cetim...

Eu não sou de mim.

Eu sou de teus grandes atos, de tua

Alma cheia de sol, dessa mancha linda

No lençol, de tuas mãos embriagadas

E de mais tudo e de tudo mais nada.



Karla Bardanza












































































Comentários

Postagens mais visitadas na última semana