FORA DE ALCANCE



O objeto é inatingível.

Não o olho mais de frente.

Esforço-me por não querê-lo.

Fecho os olhos para dizer não,

Para evitar o que é letal.

Entro numa astronave.

Onde é o planeta mais perto?



O objeto é apenas distância.

Tento não ver o que está

Acontecendo.

Respiro na atmosfera inviável

De Marte, penso em arte,

Leio a poesia que ainda resta.



O objeto está ali.

Fragilidade.

Frágil idade.

...............................................................



Ando sem pensar, sem ar, sem falar.

Algumas coisas estão realmente fora

De alcance.



Descanse em paz.





Karla Bardanza












































Comentários

Postagens mais visitadas na última semana