NUA E MALDITA


Foi preciso ficar nua

Antes de admitir a derrota.



Errei a rota.

Pendurei a máscara,

O sorriso forçado,

Todos os disfarces baratos.



Só havia o avesso

De mim.



Estou contaminada.

Não toque as minhas palavras.

Saia logo antes que você se afogue

No grande nada.

Não respire o mesmo ar.



Lamento a doença

Nadando na alma,

O medo de morrer.



Agora estou

E atravesso a escuridão

Com as mãos atadas.



Deixo-me ficar aqui

E recomeço o verso

Recuperando o círculo,

Olhando para lua

Enquanto estou nua

E maldita.

Enquanto um lobo

Uiva e me fita.



Karla Bardanza












Observe-me com a leveza de uma bolha de sabão... e ache minha beleza... Ela está ao meu redor...no meu calor...no meu estado permanente de flor.
-Karla Bardanza-

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana