CENA URBANA

 Quadro de Chloe Early





Bebe-se na mão do abismo
as gotas insanas do agora.
Palavras conspiram no peito,
sombras deliram nas horas inquietas.

Esvai-se a suavidade das mãos
enterradas na areia eternamente morna.
Os prédios contemplam os olhos lá de baixo
ardendo como insensata chama.

Queda-se a esperança sem voz,
sucumbindo ao grito final.
O que fica espatifado no chão
é sempre mais do que os cegos podem ver.




Karla Bardanza



Copyright © 2012 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana