UM E DOIS

Olga Sugden







Se pudesses vir comigo
porque não entendo

Se pudesses abrir as palavras
e encontrar o meu estranhamento,
o meu momento igual e diferente
que eu pouco sinto,
que você mente

Como seria navegar 
em águas rasas,
em sentidos de agosto? 

Um rosto toca o meu desentendimento:
esse eu narrante e narrado
e por dois intervalos e um instante,
o coração chega atrasado

Se pudesses vir comigo
porque um peixe fugiu do aquário,
porque o centro descentraliza,
porque tudo morre e precisa

Mas quem pode caminhar lado a lado
sem olhar para frente,
sem deixar cair os próprios pedaços 
no asfalto cru?

Mas quem pode viver de peito nu
quando a boca sonolenta
dorme antes e depois?

Mas quem pode
ser um quando já nasceu
dois?


Karla Bardanza
 
 






Copyright © 2013 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana