A VIDA NUNCA DEVE SER PELA METADE

 Dominique Hoffer


Então, você pensa
que o fim está chegando
e já não (des)espera mais nada.
Você está pelo avesso
do avesso.
Um cansaço sem voz te habita,
te mastiga,
te cospe poucas verdades.
Você resiste
e sabe bem que se for diferente,
não há a necessidade de dar as mãos
e pular no abismo juntos
e acreditando.

Medo já não há.
Você está jogando fora tudo
e apostando todas as fichas,
faixas e flexas em coisas
que vão além da sua vâ filosofia,
dizendo para si mesmo
que amanhã você vai acordar mais inteiro,
mais íntegro,
mais.

Mas,
amanhã é luta também
e é luta depois
e depois do depois.
Então, te digo, convencida
que valeria a pena
mesmo se sobrassem apenas nós dois,
mesmo que a faca que está sobre minha cabeça,
fosse enterrada no meu peito de vez.

Eu não vou morrer de joelhos,
nem desertar.
Ficarei dignamente de pé
até o sol abrir o céu
e o sal curar a ferida
porque a vida 
nunca deve ser pela metade,
porque eu ainda acredito
que podemos.


Karla Bardanza
 







Copyright © 2013 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana