EVOLUÇÃO



Cherylene Dyer


Abri o peito com audácia e inexatidão, deixando escapar palavras dissonantes e difíceis para mim. Cheguei perto do teu ego e abaixei-me para me ver melhor nos teus olhos que nunca foram apenas meus. Meu egoísmo nunca foi suficiente para te monopolizar, para te guardar no meu porta-jóias da emoção. Assim talvez deva ser a vida: saber chegar perto sem estar perto de verdade, encontrar força na dissolução dos dias, tentar a mágica mais uma vez quando todos os coelhos já fugiram da cartola.

Não houve happy end ou coisas afins, não houve nada que já não soubesse. Custou-me 4 meses e incontáveis segundos para ser forte o suficiente para encontrar o perdão e te devolver sem muitas palavras bonitas na boca. Fui tão corajosa que daqui para frente não serei mais eu mesma. Serei um pouco melhor, um pouco mais fraca, um pouco mais gente. Espero que isso seja suficiente para ser feliz.


Karla Bardanza


 Copyright © 2013 Karla Bardanza Todos os direitos reservados Photobucket

Comentários

Postagens mais visitadas na última semana